A vida moderna de Wellington – Cagando e andando

nA vida moderna de Wellington - Cagando e andando

nnMeu nome é Wellington e hoje falaremos sobre meu segundo dia de aula na faculdade, onde uma surpresa non grata marcou meu retorno para casa.n
n
nApesar de ter passado toda aula com vontade de ir ao banheiro fazer o número dois, optei por não utilizar o local, pensando na vergonha que seria caso alguém acabasse entrando lá bem na hora, sentindo todo aquele bafo e logo na sequência me vendo sair com a maior cara de cagão do mundo.n
n
nQuando a tão aguardada hora de ir para casa chegou, o pobre Well já estava praticamente explodindo em fezes. Enquanto caminhava com a maestria de alguém que havia acabado de levar uma flechada no joelho, tentava tirar forças de onde nunca tive para conter aquele monstro que em mim habitava, com o ledo engano de que após subir no ônibus e sentar, conseguiria amansá-lo. Sim, eu disse “ledo engano”, que durou precisamente dez minutos após a saída do ponto e se foi por água abaixo… ou melhor, por perna abaixo, escorrendo entre minha pele e a calça jeans.n
n
nPara que toda desgraça não ocorresse dentro do próprio ônibus, levantei desesperado no último segundo gritando “VAI DESCER, MOTORISTA!”, corri como se não houvesse amanhã para me afastar e finalmente soltei aquela bomba, que após começar a sair, tomou completamente o controle do meu corpo e não parou durante uma verdadeira eternidade (pelo menos na minha mente).n
n
nPor incrível que pareça, o percalço passado era dos males, o menor. Difícil mesmo foi andar cerca de meia hora ouvindo frases como “bichinho, fez cocô na calça” e tentando fugir das rotas frequentemente utilizadas, para garantir que nos dias seguintes não seria vítima de ainda mais comentários sobre o incidente.n
n
nA história de hoje é uma verdadeira lição de vida: agradeça e sempre utilize o banheiro disponível, esperar até a próxima oportunidade é arriscado demais!

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp

Posts relacionados...